Manual de Instruções

MANUAL DE INSTRUÇÕES II


VASCO FUTSCHER

 

EXPOSIÇÃO NA CASA-ATELIER VIEIRA DA SILVA
27 SETEMBRO 2017 – 21 JANEIRO 2018

Manual de Instruções é o título de uma série de trabalhos que Vasco Futscher tem vindo a desenvolver no último ano, sobretudo em cerâmica, e que serão apresentados em duas exposições paralelas. No Módulo – Centro Difusor de Arte, inaugura dia 29/09 Manual de Instruções I, de que esta exposição é a segunda parte.

Refere, antes de mais, uma ideia que atravessa toda a série de peças: a de que poderia haver uma “receita” para chegar a um objecto artístico. Ideia essa que é falsa à partida, visto que cada peça existe em si mesma, ocupando um volume específico, mas desenvolvendo-se a partir de parâmetros definidos: um paralelepípedo, trabalhado na massa, no volume e na superfície de forma diferenciada.

Somos portanto obrigados a ler o termo “manual de instruções” de uma forma obliqua, quase na verdade como um “manual de leitura” a aplicar a cada um dos elementos discretos da série.

Esta exposição representa uma leitura mais tangencial do “manual de instruções”. Encenando o seu atelier (ou um atelier possível) dentro da Casa-Atelier, ao mesmo tempo ilustra e refere como são feitas as suas peças, e lembra que o primeiro local de criação é o atelier, dando a ver ao público um aspecto habitualmente vedado ao seu olhar.

Esta encenação comporta um elemento imprevisto, ao permitir a mudança dos objectos ou a sua utilização pelo artista ao longo do tempo da exposição, dando a ver uma parte do seu processo criativo, à semelhança da reconstrução do Atelier Brancusi em Paris, mas desta feita com um artista ainda vivo.

A exposição está patente até 21 de Janeiro de 2018 e pode ser visitada no horário do Museu, mediante solicitação no mesmo.

atelier
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
vf-horiz

Vasco Futscher nasceu em Lisboa em 1987. Completou a sua formação artística no Ar.Co, Centro de Arte e Comunicação, entre 2006 e 2013, tendo completado o curso de Artes Plásticas (2010) e de Cerâmica (2013). Foi bolseiro da Fundação Carmona e Costa em 2009.

Mostra regularmente o seu trabalho desde 2008. Das exposições colectivas, destacam-se Portugal, Portugueses, Museu Afro-Brasil em São Paulo (2016), Olhares Cruzados, Identidades Diversas, no Módulo (2016), o Prémio Fundação EDP Novos Artistas 2015, no MAAT, e À Maneira do Ar.Co. na Galeria João Esteves de Oliveira (2012).

Das exposições individuais, destacam-se Manual de Instruções I & II, na Casa-Atelier Vieira da Silva e no Módulo (2017), Coda, na Montra (2015), e em 2014 Cerâmicas, também no Módulo.

Vive e trabalha em Lisboa.