Uma casa aberta, um atelier para todos

A casa de Maria Helena Vieira da Silva – sita no Alto de São Francisco, junto à Praça das Amoreiras, em Lisboa – foi lar e local de trabalho da pintora e do seu marido, Arpad Szenes, antes da conturbada partida do casal para o Brasil (no contexto da 2.ª Guerra Mundial) e, posteriormente, da sua fixação em Paris. Já em período da sua consagração artística, Maria Helena e Arpad voltavam regularmente a Lisboa, àquela pequena escala do Alto de São Francisco, que os remetia para o despojamento e a essencialidade.

Nos seus últimos anos de vida, a pintora manifestou o desejo de que a sua antiga casa e atelier se mantivessem de algum modo associados à produção artística e ao estudo da arte contemporânea. Legado à Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva (FASVS), criada ainda durante a sua vida, e depois de uma intervenção profunda de remodelação e conservação do edifício, este espaço abre-se por fim a todos, com um programa que visa estreitar as relações com instituições e particulares que pretendam promover actividades de «aperfeiçoamento da arte contemporânea» e «desenvolvimento da cultura e educação artísticas», conforme previsto nos estatutos da FASVS.

DESTAQUES

conv-ana-vidigal
oficina-de-teatro-no-museu
cartaz-marta-wengorovius-a3-4
workshop-serigrafia-cartaz-casa-atelier-vieira-da-silva
cartaz_futuro_2017_versao-pt
cartaz-2017
cartaz3
oficina-de-arquitectura-carnaval-2017
florpelecartaz
cartaz-cours-harte-copy
cartaz-cc-branco-s
atelier-francs-002-cpia
cartaz_a4
Fotografia de página completa